29 de set de 2011

Orquestra Brasileira de Música Jamaicana - O Guarani

Enquanto isso os padres ao banho...

Dois padres foram tomar banho, mas esqueceram o sabonete.
Um dos padres falou:
- Vou buscar dois no meu quarto, que fica no fim do corredor.
Como eles estavam com pressa para irem a missa, ele foi buscar os sabonetes pelado mesmo.
Na volta, com os sabonetes um em cada mão, ele deu de cara com três freiras que estavam indo para a missa.
Sem ter o que fazer se fingiu de estátua. As freiras olharam e comentaram entre si.
- Nossa que estátua linda, perfeita!!
Foi quando uma delas ao olhar o bimbo do padre resolveu dar um puxão.
Ao sentir a dor, um sabonete escorregou da sua mão.
As freiras espantadas falaram:
- Não é estátua, mas sim uma maquina de sabonete.
A outra deu um novo puxão e outro sabonete escorregou:
- Nossa que maravilha - exclamaram com felicidade.
A terceira freira, não querendo ficar para trás e puxou o bimbo do
padre, e nada, e puxou e nada e puxou e nada, e puxou, e puxou, e puxou e puxou e puxou... e disse:
- Nossa que maravilha tem até sabonete líquido!

Homem X Mulheres

BANHO DAS MULHERES:

1. Tira a roupa e coloca num cesto de roupa suja.
2. Vai para o banheiro de roupão.
3. Se cruza com o marido no caminho, cobre o corpo.
4. Para diante do espelho e analisa o corpo.
5. Força a barriga para fora para poder se queixar que está mais gorda do que realmente está…
6. De costas, empina a bunda para verificar se tem celulite.
7. Antes de entrar no box, organiza a toalha para o rosto, a toalha para os cabelos e a toalha para o corpo.
8. Lava o cabelo com shampoo.
9. Enxágua Longamente.
10. Repete o processo de lavar o cabelo com o shampoo.
11. Enxágua longamente de novo.
12. Enche o cabelo com condicionador e deixa por 15 minutos.
13. Lava o rosto com sabonete esfoliante até que o rosto fique vermelho..
14. Lava o resto do corpo com sabonete hidratante para o corpo.
15. Tira o condicionador do cabelo.
16. Este processo leva 10 minutos. Ela DEVE estar segura que todo o condicionador foi retirado.
17. Depilação de axilas, pernas e área do biquíni.
18. Desliga a ducha. Escorre toda a água dentro da ducha.
19. Sai da ducha e se seca com uma toalha do tamanho da África Meridional.
20. Enrola uma toalha super absorvente na cabeça…
21. Revisa mais uma vez o corpo em busca de detalhes.
22. Retorna ao quarto com o roupão.
23. Se encontra o marido, se cobre mais ainda e corre para o quarto..
24. Uma hora e quarenta minutos depois, está vestida e pronta.

AGORA A MELHOR PARTE! uhahauhauhauhauhauhauhaha


O BANHO DOS HOMENS:

1. Sentado na cama, vai tirando toda a roupa, arrotando, peidando e jogando tudo no piso em frente.
2. Cheira as meias e a cueca, para após lançá-las sobre o montinho formado.
3.. Vai pelado até o banheiro.
4. Se encontra uma esposa no caminho, balança o pinto imitando um ventilador.
5.. Para defronte ao espelho para ver o físico.
6. Encolhe a barriga.
7.. Faz pose de halterofilista.
8.. Checa o tamanho do pinto.
9.. Por fim, coça o saco.
10. Entra na ducha.
11. Não se preocupa com toalhas. Se não tiver por ali uma de banho, vai se secar com a de rosto mesmo.
12. Lava o rosto com sabão.
13.. Se mata de rir com o eco que faz dentro do box quando peida.
15. No banho, deixa cabelos do saco no sabão.
16. Lava o cabelo com qualquer xampu.
17. Não usa condicionador.
18. Faz um penteado punk.
19. Sai da ducha para ver no espelho como ficou seu penteado punk.
20. Morre de rir.
21. Mija dentro do box.
22. Faz toda a vizinhança ouvir quando assoa o nariz dentro do box.
23. Tira o shampoo e sai Imediatamente da ducha.
24. Não se dá conta de que todo o banheiro está molhado pois, tomou banho com o box aberto.
25. Quase seco, para outra vez diante do espelho.
26. Contrai os músculos e revisa o tamanho do pinto.
27. Coça o saco.
28. Sai do banheiro e deixa a luz acesa.
29. Deixa pegadas molhadas com espuma de sabão.
30. Volta para o quarto.
31. Se encontra a esposa no caminho, volta a balançar o pinto, imitando ventilador.
32. Dá um tapa na bunda da esposa.
33. Chuta as roupas que estão no piso do quarto para um canto.
34. Quatro minutos (Exatamente: quatro minutos) depois está vestido, pronto e perguntando se a esposa ainda vai demorar muito.

27 de set de 2011

Dia 1º de outubro:Inauguração do Espaço Zé Saldanha e comemoração dos quatro anos da Casa do Cordel

Em homenagem ao poeta cordelista José Saldanha Menezes Sobrinho é que será inaugurado o espaço que leva o seu nome.
O cordelista, que era o mais antigo em atividade no Brasil, faleceu no dia 9 de agosto, deixando uma imensa contribuição ao cordel, com mais de 300 títulos publicados.O Espaço Zé Saldanha será um ambiente para apresentações, saraus, cantorias, exposições, palestras e oficinas, além de contar com imagens e folhetos do poeta Zé SaldanhaA Casa do Cordel é um espaço cultural dedicado à Literatura de cordel e à cultura popular do Rio Grande do Norte.Tendo revelado, nestes quatro anos de existência, muitos talentos, o espaço é um pólo de resistência nestes tempos de cultura midiática e de artistas que se vendem por um punhado de tostões.


Participe!


Aniversário de quatro anos da Casa do Cordel e inauguração do Espaço Zé Saldanha


Programação:
Dia 1º de outubro ( sábado )
9h: Abertura 
Casa do Cordel, quatro anos de resistência com Abaeté do Cordel e Mery Medeiros
9h30: Café com Cordel:
Café da manhã e sarau poético em homenagem ao poeta Zé Saldanha

As vezes é bom refletir

PARA VISUALIZAR MELHOR CHIQUE NA IMAGEM!!!

Reggueiro mirim Bob Marlon grava nesta quinta participação em programa de São Paulo.


O jovem músico de 13 anos, Marlon Onassis canta e se apresenta em shows desde os seis anos de idade, ficou conhecido na cidade como o pequeno Bob Marley por interpretar e se vestir como o cantor de reggae Bob Marley, recebeu convite do SBT para participação em um de seus programas o ``Qual o Seu Talento´´.  A gravação acontecerá nesta quinta dia 29 nos estúdios da emissora em São Paulo. E a primeira participação de um talento do RN no programa.  Desde o ano passado a produção vinha  buscando a participação do garoto no programa o que será agora concretizado. Marlon Onassis interpretará o clássico `` No woman cry ´´ de Bob Marley e que no Brasil ganhou tradução de Gilberto Gil. Com seu jeito tímido o jovem reggueiro potiguar diz que ta preparado para a participação, vem acompanhando o programa e recebendo força e incentivo dos amigos e familiares. Caso passe da primeira etapa o pequeno Bob Marley terá que voltar à para uma semi-final podendo chegar para a grande final juntamente com outros classificados. A produção do programa em São Paulo tem mostrado muita empolgação para receber Marlon que apesar da pouca idade já realizou vários shows ao lados das bandas potiguares, se apresentou para um público de 3 mil pessoas ao lado dos Maranhenses da Tribo de Jah e tem como fãs os integrantes da banda paulista Planta e Raiz de quem ganhou uma guitarra autografada.
No Domingo dia 02 o Pequeno Bob Marlon será uma das atrações do Circuito Ribeira, dentro da programação de reggae do espaço Cultura Clube ao lado das bandas Faces Negras, Mr. Jowl e Raízes de Concreto. 

" Oração a São Cosme e São Damião " - Maria Bethânia

JULGAMENTO DA VELHINHA

Juiz: Qual sua idade? 
Velhinha: 
Tenho 86 anos. 

Juiz: 
A senhora pode nos dizer com suas próprias palavras o que lhe aconteceu no dia 1º de abril do ano passado??? 

Velhinha: 
Claro, doutor. Eu estava sentada no balanço de minha varanda, num fim-de-tarde suave de outono, quando um jovem sorrateiramente senta-se ao meu lado. 

Juiz: 
Você o conhecia? 

Velhinha: 
Não, mas ele foi muito amigável... 

Juiz: 
O que aconteceu depois? 

Velhinha: 
Depois de um bate-papo delicioso, ele começou a acariciar minha coxa. 

Juiz: 
A senhora o deteve? 

Velhinha: 
Não. 

Juiz: 
Por que não? 

Velhinha: 
Foi agradável. Ninguém nunca mais havia feito isto comigo desde que meu Ariovaldo faleceu, há 30 anos. 

Juiz: 
O que aconteceu depois? 

Velhinha: 
Acredito que pelo fato de não tê-lo detido, ele começou a acariciar meus seios. 

Juiz: 
A senhora o deteve então? 

Velhinha: 
Mas claro que não, doutor... 

Juiz: 
Por que não? 

Velhinha: 
Porque, Meritíssimo, ele me fez sentir viva e excitada. Não me sentia assim há anos! 

Juiz: 
O que aconteceu depois? 

Velhinha: 
Ora Sr. Juiz, o que poderia uma mulher de verdade, ardendo em chamas, já de noitinha, diante de um jovem ávido por amor? Estávamos à sós, e abrindo as pernas suavemente, disse-lhe: Me possua, rapaz! 

Juiz: 
E ele a possuiu? 

Velhinha: 
Não. Ele gritou: 1º de abriiiiiiiiiiiiiiiiillllllll! Foi aí que eu dei um tiro no filho da puta!! 

27 de Setembro dia de São Cosme Damião, Doum e Ibeji. Eremi!!!!



Oração a São Cosme  e  São Damião
São Cosme e São Damião, que por amor a Deus e ao próximo vos dedicastes à cura do corpo e da alma de vossos semelhantes, abençoai os médicos e farmacêuticos, medicai o meu corpo na doença e fortalecei a minha alma contra a superstição e todas as práticas do mal.
Que vossa inocência e simplicidade acompanhem e protejam todas as nossas crianças. Que a alegria da consciência tranquila, que sempre vos acompanhou, repouse também em meu coração.
Que a vossa proteção, São Cosme e São Damião, conserve meu coração simples e sincero, para que sirvam também para mim as palavras de Jesus: "Deixai vir a mim os pequeninos, pois deles é o Reino dos Céus". São Cosme e São Damião, rogai por nós.
Rezar Pai-Nosso, Ave-Maria e Fazer o sinal da cruz





26 de set de 2011

Tá chegando a hora!!!

As Cartas me emocionam sempre

Esta só me fez ter ódio de mim por não a tê-la escrito.



Bom dia!
Oi Paulo e a todos que participaram dessa leitura.
Então, já faz algum tempo que estamos precisando conversar, até tivemos oportunidades, porém não era conveniente.
Pois a “poeira” ainda estava muito acentuada, e não estava querendo dizer coisas para machucar, nem gostaria de escutar nada que me machucasse.
Mas agora chegou a hora.
Vamos lá.
Quero já dizer a você que esse e-mail não é muito particular, pois ele está sendo enviado a várias pessoas o qual viu e ouviu suas palavras e as minhas também,
e para pessoas que até hoje ainda escutam você falar sobre Olímpia, inclusive pessoas da própria Olímpia, por isso fica a sua disposição responde-lo,
para que todos saibam as partes de cada um.
Olímpia foi antes de tudo um desafio, desafio dos bons, jamais me arrependerei de nada que fiz para estarmos lá.
Desde que começamos este longo caminho, seu nome já estava junto a nós, defendemos você, sua ida, seu trabalho, sua história, sua arte;
porém nas finalizações da viagem as coisas não foram como pensaríamos que fosse.
Realmente quando se fez o projeto “Olímpia”, queríamos mais do que conseguimos, isso é fato. Fizemos um orçamento e que com certeza você estava incluso,
não só você, mas todos os integrantes da caravana potiguar.
Infelizmente não saiu verba para que pudéssemos trabalhar dignamente, corremos várias Secretarias, Órgãos Públicos e Privados, para conseguir um apoio,
um patrocínio financeiro, porém nos foi negado.
Conseguimos muita coisa, também é fato, conseguir um caminhão com a SETHAS para levar toda a nossa “mudança” foi uma vitória, de todas a maior,
você tem que concordar, pois sem o caminhão não teríamos ido a lugar algum, porém não era suficiente, continuamos a colocar o “pires na mão”
e fomos atrás até o último dia.
Conversamos várias vezes a respeito de conseguir passagem para você levar sua família e ajudantes, mais estas foram também cortadas quando recebemos da FJA três passagens para dispor a caravana, uma evidentemente para você, a primeira, e as outras, uma para o artesão Nildo e a outra foi para Wecsley, 
que trabalhou incansavelmente nesta jornada ao nosso lado por mais que você não tenha visto, e na frente da Secretária Isaura Rosado foi dito para quem 
eram as passagens e ela concordou e aceitou todas, posto que ela já sabia que você teria ajudantes em Olímpia. 
Ela também sabia do trabalho e tudo que levaríamos, por isso mesmo concordou com os nomes oferecidos as passagens.
Mesmo assim não descansamos, continuamos correndo atrás. A minha passagem foi a Sra. Anna Maria Cascudo que me ofertou,
a passagem de Alexandre, foi o mesmo que comprou, a passagem de Neuza também foi ela quem comprou, e assim por diante,
Aldo ganhou a dele, e os outros compraram com seu próprio dinheiro. 
Digo isso para que você deixe de falar que deveria ter levado outras pessoas, cada um se virou, e você também tinha que se virar,
mais entendemos que você estava muito ocupado com a Cidade Samburá, e então batalhamos por você também, como assim o fizemos para todos.
Pare de nos caluniar, ninguém precisa desses seus comentários insólitos, você tem falado coisas que não existe, e você sabe disso.
Assim que chegamos a Olímpia você disse que não tinha ninguém trabalhando com você nem para você. Tudo o que foi prometido em Olímpia para você,
você teve, quer dizer, teve muito mais, e você sabe disso também. Muita coisa você conseguiu com o seu talento, isso é fato. Não entendo;
você foi o único a receber uma grana para estar em Olímpia, a FJA lhe pagou R$ 3.000,00, e você nem nos contou. 
Ninguém sabia. ( em anexo fotos da construção da casa e processo de pagamento)
Você realmente é merecedor de muito mais, mais porque só você?
O RN não é só você, o Brasil, não é só você, o mundo não é só você.
Até agora tenho atribuído todo o seus comentários, reações entre outras coisas, à empreitada que você fez e foi mal sucedida, a Cidade Samburá,
você se machucou e depois quis colocar a sua tristeza (talvez raiva, culpa) no primeiro que aparecesse na sua frente, e aí não deu outra, foi eu e Séphora. 
Você sabe que fomos várias vezes conversar com você, te dar força, fazer parte, mais infelizmente não deu certo, pois a Comissão de Folclore não era eu, 
Séphora e Teresa, tem muito mais gente, como você também, e nós estávamos como loucas correndo atrás das coisas de Olímpia. 
E o negócio se tornou seu e deixou de ser da Comissão.
Porém hoje acho que não foi por isso, é porque você é assim mesmo, individual, capitalista.
Quando eu conheci você, Ângela e Paulo Ângelo, eu nem pensei que seria assim, apesar de já ter escutado várias estórias suas, 
dentro desses 6 anos que mantivemos uma amizade. Quando você estava fazendo a sua primeira casa de taipa na festa do boi, eu estava lá, 
com vocês, tudo começou com Ângela dando café aos seus convidados, amigos e visitantes da casa, e eu na minha inocência, acho que é inocência,
vi que vocês poderiam fazer daquilo, algo a mais na casa, e assim virou a casa de taipa de Paulo e Ângela, com café, sopa, bolo, será que tu lembra disso?
Se você não lembra, eu lembro bem, e Ângela pode até dizer que não lembra, mais eu me lembro como se fosse hoje.
Jamais tive a intensão de denegrir sua imagem, seu trabalho, sua vida. 
Porque você esta falando de mim e de Séphora por aí?
Será que se Séphora não tivesse convidado a gente para ir a Olímpia, você estaria dizendo o que você está dizendo hoje?
Você foi tão bem recebido que tem até lugar para morar, que o povo amou você, que tudo é lindo, que todos são seus amigos, e que eu e Séphora não somos nada, que ninguém nos quer mais lá. Lembre-se Paulo que Séphora está nessa caminhada a 5 anos, ela não conheceu Olímpia nem o povo de lá ontem como nós conhecemos, acho que ela merece no mínimo nosso respeito e agradecimento.
Paulo, a vida é muito curtacurtíssima. O que você quer fazer?
Você só quer as coisas para você?
Nada é assim, eu pensava que você quando foi a Brasília em 2006 para o encontro de Cultura Popular, 
tivesse ido para lutar juntos com todos que estavam ali, por políticas públicas, por melhorias, mais vejo que tudo era só para você.
Você conseguiu levar sua esposa e seu filho para Olímpia, e sabe quem pagou¿ Você sabe, ou está esquecido?
Foi Séphora, que até hoje está esperando você pagar a ela, pois você deu sua palavra que iria pagar.
Mesmo assim, andas falando dela por ai.
Paulo, não queremos o seu mal, só queremos que você para de ser mal agradecido, de ser falador de Mer..., para com isso cara.
O que foi que a gente fez?
Te deu uma oportunidade e você chutou o pau da barraca?
Não acredito que você é o mesmo que conheci anos atrás, que defendi, que fui amiga, que escutei;o que está acontecendo com você?
Já sei, você quer conquistar o mundo sozinho.
É... infelizmente não estarei por perto, para ver isso acontecer, pois o mundo é de todos, e cabe todos, esse é o meu pensamento,
e tenho certeza que é o de Séphora e o de todos que estavam ali, aqueles que você diz que eu levei para turistar.
Não levei meu filho, minha filha, meu marido para estarem lá, para trabalharem comigo como sempre o fizeram, 
posto que a minha família fez a parte mais bonita dessa história, me apoiar, mas fiz questão de levar quem realmente estava desde de o início desta jornada,
e quem foi convidado a trabalhar. 
Quer dizer, eu não levei ninguém, cada um foi por sua conta e crédito, Séphora sim, não teve escolha, ou invés de pagar a passagem do filho dela,
pagou a do seu e da sua esposa. E você acha justo falar de nós?
Paulo eu quero viver bem, eu não preciso destruir ninguém para ter um espaço, pare de querer destruir os outros, ninguém sabe o dia de amanhã.
Quero que fique claro que eu e Séphora não recebemos dinheiro de Órgão algum, de Secretaria alguma, como andam falando que recebemos 
R$ 20.000,00 da FJA, gostaria que você ou qualquer outro procurasse esse processo na Fundação José Augusto, ou em qualquer outro processo do Governo. 
Já o seu processo, está aí, e já foi pago (em anexo), não precisamos ocultar nada, nem se fosse dinheiro, posto que se realmente tivéssemos recebido alguma coisa, não teríamos problemas com você.
Ou você acha que ficaríamos a ter dores de cabeça com você se tivéssemos grana?
Se tivesse aparecido este tal dinheiro, seria realmente para cobrir as despesas que foram gastas por nós até chegarmos a Olímpia e trabalharmos por lá. 
Todo o dinheiro gasto, para podermos estar lá, saiu do nosso bolso, e nem por isso deixamos de fazer o nosso trabalho que era representar
o Folclore e a Cultura do RN.
Desculpe Paulo por tudo mesmo, trabalhar com você não quero mais, você me decepcionou muito, muito mesmo, 
tudo o que eu acreditava que você era, era mesmo, não é mais, acho que jamais o foi, eu é que não via.
Fui sua amiga, você não foi meu, o dinheiro e a fama para você é maior do que qualquer amizade, você não é digno da minha amizade,
eu não penso nem ajo como você.
Desejo mais do que sucesso a você, muita Glória mesmo, do fundo do meu coração, porém não desejo o mundo, pois este é nosso, de todos.
Os nossos ideais são opostos, por isso vou ficando por aqui.
Querendo bem a você, porém decepcionada e muito triste.
E também quero que fique claro que não tenho raiva, rancor, ou outro sentimento que não faz parte de mim por você.
Adoro Ângela e Paulo Ângelo. Quero maior bem.
Abraços grandes.
Boa sorte.


PROCESSO PAULO VARELA

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
FUNDAÇÃO JOSÉ AUGUSTO
TERMO DE INEXIGIBILIDADE DE LICITAÇÃO
O processo abaixo discriminado, de interesse da Fundação José Augusto, teve reconhecida sua inexigibilidade de licitação, nos termos artigo 25, inciso III, da Lei Federal 8.666/93, referente à despesa com contratação do artista Paulo Varela de Morais para confeccionar um cenário (Casa de Taipa) para apresentações artísticas que irão acontecer na cidade de Olímpia – SP, no 47º Festival de Folclore de Olímpia, no período de 23 a 31 de julho de 2011            
Processo: 150150/2011-6; Interessado: PAULO SÉRGIO VARELA DE MORAIS; Valor R$ 3.000,00
Reconhecida/Ratificada
Natal/RN, 21 de julho de 2011.
Ana Neuma Teixeira de Lima
DIRETORA


Lançamento no Bardallos


Teatro em Bar  - um diálogo com o criador  
A atriz e Professora Elisete Teixeira, mineira, residente em Brasília - DF lança nesta quinta feira, 29, apartir das 19h no Bardallos Comida e Arte  livro resultante de sua monografia sobre um momento significativo da cultura teatral Brasiliense.


 Teatro em Bar um diálogo com o criador, trata-se de um registro da memória teatral dos experimentos cênicos apresentados em bares de Brasília no final da década de 1970 à 1990 e homenageia Lauro Nascimento, dramaturgo mineiro e pioneiro dessa ação em Brasília. 
Durante o lançamento o espaço estará aberto prá intervenções poéticas e artísticas a autora, também atriz fará performance do poema da "Negra Fulô" de Jorge de Lima.
Sobre a Autora
Elisete Teixeira, nasceu em Patos de Minas/MG em 1956. É Bacharel em Comunicação Social pelo UNICEUB, Licenciada em Artes Cênicas e Visuais pela Universidade de Brasília – UNB e Pós-Graduada em Linguagem Teatral e em Linguagem Artística e Educação pela Faculdade de Arte Dulcina de Moraes – FADM. Veio para Brasília em 1971, iniciou-se no Grupo de Teatro Ariano Suassuna,  integrou o grupo Máscaras sendo também uma das fundadoras da Companhia de Artes Cênicas do Terceiro Mundo e doTeatro Menospausa . Atualmente ministra oficinas de Teatro e de Contadoras de histórias.
Sobre o Homenageado : Lauro Nascimento em 1962 foi para Brasília,  licenciou-se em Artes Plásticas pela UnB. Professor, ator, cenógrafo, encenador, dramaturgo e diretor. Foi um dos maiores incentivadores e pioneiros da Arte Educação, das Artes Cênicas e Plásticas nesta capital . Atualmente reside em Montes Claros onde nasceu em 1938, desenvolvendo trabalhos nas Artes Visuais.
Trechos do livro que relatam a experiência vivida no período

“Nos dias de apresentações, dividíamos a cozinha do bar com o camarim. Às vezes, entrávamos com um leve perfume de fritura. Mas, nos quatro dias que antecediam a estréia, ficávamos reunidos no porão criando, experimentando, colando, ensaiando, gargalhando e exercendo tudo que o motor do fazer artístico nos provoca. A surpresa e o mistério eram nossos temperos”, conta Elisete Teixeira. 

“Além dos fregueses do bar, poetas, músicos, escritores e professores, nosso público era composto por gente de teatro, trabalhadores da construção civil, servidores públicos, empregadas domésticas e moradores das redondezas. Tenho certeza de que para os mais humildes aquele foi o único teatro que conheceram na vida”, observa Lauro Nascimento. 

Os experimentos cênicos de Lauro Nascimento nasceram em 1979, no porão do Papos & Panquecas, no Lago Sul, com o espetáculo Romaria, uma colagem de textos sobre noite, boêmia, solidão e dor de cotovelo, com Gê Martú e Elisete Teixeira no elenco. E seguiram até 1992. Mas se intensificaram em 1985, quando ele retornou a Brasília. Ali, no Bar Cafofo, o criador ocupou, com 11 atores, o porão, batizado de Empório de Teatro da Asa Norte. As apresentações eram gratuitas e não havia cachê para os atores. O que unia todos era o desejo de estarem inseridos naquele movimento. Durante dois anos consecutivos, foram montadas 24 peças curtas que, no livro de Elisete Teixeira, ganham preciosa catalogação com fichas técnicas. 

“A partir daí, as sucessivas mudanças de espaço (o Cafofo enfrentou crises) dispersaram o grupo. Era como se nós tivéssemos perdido uma referência. No entanto, a ideia dos experimentos continuou viva. Tanto é assim que, em 1989, retornamos ao Cafofo para mais duas experiências. Depois disso, a nosso pedido, antes de virar definitivamente depósito, o porão foi cedido, comercialmente, para a temporada do espetáculo Esperando Godot, de Beckett, com direção de Mangueira Diniz”, avalia Lauro Nascimento. 

“É difícil falar desse processo todo, porque são tantas histórias, mas o principal foi aprender a possibilidade de fazer teatro do nada. Pintou a ideia e a gente ia atrás, em pouco tempo, sem medo da produção. Fizemos de tudo. Hoje, eu continuo fazendo o que nasceu dali”, conta a atriz Kuka Escosteguy. 

Os 60 lugares marcados no Cafofo não davam para quem queria. Era preciso se entregar ao chão ou se espremer num vão qualquer. No palco, o improviso era só para lidar com a falta de recursos financeiros a fim de montar luz, cenário e figurino. A qualidade dos espetáculos, no entanto, se sobrepunha. E isso habita as lembranças descritas no livro de Elisete Teixeira.
A presente obra conta com o patrocínio do Fundo de Apoio à Cultura - FAC, da Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal. É uma publicação da Editora Thesaurus.
 

Serviço                                                                                  Teatro em Bar: um diálogo com o criadorLançamento do livro de Elisete Teixeira
Local: Bardallos Comida e Arte ás 19h                                                                                                              
Rua Gonçalves Ledo – 678 – 
Cidade Alta                                                                                  
Informações: 3211 – 85 89 / 9409 4440
Contatos com a autora: ( 61 ) 9669-2661 / (84) 3206 -0558 (84) 9942 - 8189

Pense!!!

"Ainda Bem" Marisa Monte - Clipe Oficial

Tempo vai, tempo vem e marisa Monte continua única!!!!

25 de set de 2011

Fato!!!

23 de set de 2011

A Banda mais incrivel que irá passar pelo Rock in Rio e ninguém fala dela Macaco made in Espanha

Tô rão Comovido!!!!

Grande Edinho!!!!!!!



O potiguar, radicado em São Paulo, Edinho Oliveira lança dia 5 de outubro às 20h, no TCP – Teatro de Cultura Popular, o CD “A porta”.
O show contará com as participações dos cantores, compositores e músicos Cida Lobo, Deca Silva, Eduardo Taufic, Jackson Silva e Jailton Medeiros. 
Entrada R$ 20,00 com CD, meia R$ 10,00. Mais informações 9922-8188/9151-7783.

Significado do Nome dos anjos


 SABE A RAZÃO DOS NOMES DOS ANJOS?
Gabriel, Rafael, Miguel e outros anjos...
 
Todos terminam com 'el'.

Com base nos escritos de estudiosos sérios,
teólogos e rabinos, alguns desses nomes foram decifrados:
GABRIEL:"AQUELE QUE DEUS ENVIOU";
MIGUEL:"IGUAL A DEUS"
RAFAEL: "ANJO MENSAGEIRO" e assim vai...

Sendo assim, veja no texto abaixo as novas descobertas
relativas aos estudos desses seres protetores

Aluguel - anjo mau. Não deixa a pessoa conseguir sua casa própria; 
Embratel - protetor do monopólio das comunicações;

Chanel
 - protetor dos costureiros, estilistas e outros   boiólas ;
Papai Noel - protetor do comércio. Só aparece no
fim  do ano para acabar com seu 13º;
Tonel - protetor dos alcoólatras anônimos e
bêbados  em geral;
Pastel- protetor das colônias japonesas e chinesas;
Gel - que protege as pessoas com cabelos rebeldes;

Manoel
 - protetor das piadas preconceituosas; 
Papel - anjo protetor daqueles com intestinos soltos;
Anatel - anjo que, como qualquer outro órgão do governo,
não serve para coisa nenhuma

Motel - Esse... nem me lembro mais !!!